São Benedito, a cidade das rosas

Chamou-se primitivamente Rio Arabê ou das baratas, segundo versão tupi, havendo como referência o riacho (Século XVII). Nessa época, tinham-se por habitantes somente Tapuias, marcando um dos principais agregamentos indígenas. Desse referencial se tem notícia a contar do ano de 1604, quando Pero Coelho de Souza, após subjugar os Tabajaras da Ibiapaba, estendeu suas conquistas ao longo da Grande Serra da Ibiapaba, montando seu quartel-general nesse local. Comandou, então, o restante de suas operações de conquista, reunindo os principais Morubixabas, deles exigindo obediência, fidelidade reinol, além de aprisionar duzentos índios, torná-los escravos e remetê-los algemados para Pernambuco. Cessado o terrorismo Continue lendo São Benedito, a cidade das rosas

Ceará, destaque no cultivo de rosas

Na década de 1990, o Governo contratou especialistas internacionais para encontrar uma área que tivesse potencial para o setor floricultor. Nesse estudo, a primeira área apontada foi o Maciço de Baturité, a 100 km da Capital. Lá havia boa altitude e clima ameno, porém o terreno não era plano, o que é necessário para a plantação em estufas. Então, a Serra da Ibiapaba foi escolhida, apesar da maior distância da Capital. Fatores geográficos favoreceram a “Cidade das Flores”. O clima tropical úmido de altitude de São Benedito – a 903 metros em relação ao nível do mar – mantém temperatura Continue lendo Ceará, destaque no cultivo de rosas

Solar dos Figueiredos – Sobral

Casarão construído pelo Pe. Francisco Jorge de Sousa, por volta de 1858. Após sua morte, o prédio foi vendido ao Senador Francisco de Paula Pessoa, que por longos anos foi residência das famílias Paula Pessoa/Figueiredo. Reconstruído em 1897, guardando suas linhas arquitetônicas originais “(GIRÃO 97;51). No ano de 1990 foi demolido parcialmente, sendo embargado através de uma ação popular impetrada na justiça por um grupo de sobralenses, entre os quais o atual prefeito de Sobral, Veveu Arruda que atuou como advogado da causa. Posteriormente, foi desapropriada pelo então governador Ciro Gomes. A administração Municipal de Sobral, na gestão do prefeito Continue lendo Solar dos Figueiredos – Sobral

Nostalgia pelas ruas de Viçosa do Ceará

Localizada na Serra da Ibiapaba, a cidade de Viçosa do Ceará nos absorve com seus casarões que mais parecem uma novela de época. Criada em 1882, é uma das cidades mais antigas do estado, com elementos da colonização francesa e portuguesa e da forte presença indígena. CASA DOS LICORES A bodega do Seu Alfredo Miranda (falecido em 29/03/2014, aos 98 anos), e de Dona Teresinha, conhecida como a Casa do Licores, é um dos pontos turísticos de Viçosa do Ceará, onde são comercializados licores e itens da culinária regional, de fabricação própria. Seu Alfredo era tocador e compositor de canções Continue lendo Nostalgia pelas ruas de Viçosa do Ceará

Casa de Câmara e Cadeia – Sobral

O edifício da Câmara Municipal De Sobral foi construído com a finalidade de abrigar a Casa de Câmara e Cadeia. Na antiga Casa de Câmara e Cadeia, edificada com meados do século XVIII, o andar térreo era ocupado pela cadeia propriamente dita, funcionando no andar superior a câmara dos vereadores. Uma escada externa de alvenaria conduzida ao andar de cima, onde havia um alçapão por onde os presos desciam para a enchova ou cárcere. Era esse o modelo comum a quase todas as Casas de Câmara das vilas do Brasil. A primeira sessão realizada na Câmara Municipal foi a 05 Continue lendo Casa de Câmara e Cadeia – Sobral

Escola de Música Maestro José Wilson Brasil – Sobral

Prédio do final do século XIX, pertenceu a Francisco Juvêncio de Andrade, cirurgião dentista, nasceu em Santana do Acaraú a 25 de março de 1881. A casa foi herdada por sua filha, Ana Rodrigues de Andrade. Após um processo de reforma, a casa recebeu o nome do Cônego José Egberto Rodrigues de Andrade, filho de Ana Rodrigues. Atualmente, o espaço abriga a Escola de Música de Sobral José Wilson Brasil, homenagem a um dos fundadores da Banda de Sobral e um dos grandes conhecedores da história do Município. Inaugurada em 2003, a Escola dispõe de uma moderna infraestrutura com capacidade Continue lendo Escola de Música Maestro José Wilson Brasil – Sobral

Museu Dom José – Sobral

Construído pelo Major João Pedro Bandeira de Melo em 1844, o prédio em estilo império é integrante da Segunda Fase dos sobrados sobralenses. Ao início da década de 1940 passou a ser o Palácio Episcopal de Dom José, permanecendo assim até o final da década de 1960. Fundado oficialmente por Dom José Tupinambá da Frota em 29 de março de 1951, o Museu possui um valioso acervo adquirido entre os anos de 1916 e 1959. Dom José recolheu peças em Sobral, e outras regiões do Ceará, do Maranhão, do Pará e do Amazonas chegando, atualmente, a compor um acervo com Continue lendo Museu Dom José – Sobral

Teatro São João – Sobral

Construído entre 1877 e 1880 por iniciativa de particulares da Sociedade Cultural União Sobralense, sendo assim o segundo Teatro mais antigo do Ceará. Em 1983, o Teatro foi tombado pelo Patrimônio Estadual sendo o primeiro monumento tombado do município e, em 12 de agosto de 1999, foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), sendo completamente reformado entre os anos de 2000 e 2004 por um levantamento arqueológico feito pelo Laboratório de Arqueologia da Universidade Federal de Pernambuco e reinaugurado no dia 29 de dezembro de 2004. Após o resgate histórico de sua arquitetura original, o Teatro Continue lendo Teatro São João – Sobral

08 de Outubro – Dia do Nordestino

A criação desta data é uma homenagem ao centenário do poeta popular, compositor e cantor cearense Antônio Gonçalves da Silva, conhecido como Patativa do Assaré (1909 – 2002). O Dia do Nordestino foi oficializado com a lei nº 14.952, de 13 de julho de 2009, na cidade de São Paulo. Jaqueline Aragão Cordeiro

37a Romaria de Codó (MA) para Canindé (CE)

A romaria de Codó para Canindé, em homenagem a São Francisco das Chagas, foi idealizada pelo empresário Francisco Carlos de Oliveira, o “Chiquinho do Codó”, há 37 anos. A primeira recepção aos romeiros de Codó acontece no Distrito de Caiçara, que fica distante 15 km de Canindé, onde recebem a bênção pelo Reitor do Santuário de Canindé, e em seguida seguem para uma segunda recepção, no CAIC (Centro de Apoio Integrado à Criança e ao Adolescente) onde se instalam. No ano de 2014, a romaria das “Carretas do Codó”, foi impedida de seguir viagem a Canindé, devido à legislação vigente Continue lendo 37a Romaria de Codó (MA) para Canindé (CE)